terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Mais um Ano na corrida para a meta......



sexta-feira, 28 de novembro de 2014

A SORTE

Todos os que passaram pelas três frentes da guerra, tiveram momentos de sorte e de azar. Ver nascer o Sol já era considerado sorte, no entanto outros imponderáveis surgiam por trás do Sol posto!
Este relato demonstra que a sorte é uma roleta russa. Deixo este testemunho que demonstra que a fronteira entre a sorte e o azar é mínima.
"Aerograma(Bate estradas) foi-me devolvido tal como está, traçado de balas ou
estilhaços na emboscada de 26/10/1971, efectuada a Coluna
Piche-N.Lamego, em que faleceram o Al.Mil. Soares, o 1º. Cabo Cruz, o
sold.Cond. Ferreira e o Sold. Manuel Pereira, todos da CART 3332.
Guardo-o religiosamente comigo..."
Carlos Alberto Carvalho



quinta-feira, 16 de outubro de 2014

A AJUDA QUE VINHA DO CÉU


Quem foram as primeiras paraquedistas que de bata branca ou de camuflado entram na guerra em missão de paz.
Largaram os hospitais onde trabalhavam, deixaram a família preocupada, adiaram casamentos e filhos para mais tarde. De modo voluntário, aos vinte e poucos anos, atrasaram as vidas. Conhecidas como as << As Seis Marias>>, foram as primeiras enfermeiras paraquedistas a irem à guerra.
Um tributo a todas elas, algumas já partiram, no entanto aqui ficam registados os seus nomes:

Maria de Lourdes Rodrigues
Maria do Céu da Cruz Policarpo
Maria Arminda Lopes Pereira
Maria Zulmira Pereira André
Maria Nazaré Morais Rosa de Mascarenhas e Andrade
Maria Ivone Quintino dos Reis




terça-feira, 10 de junho de 2014

Dia de Portugal e do Ex-Combatentes

10 de Junho de 2014

Pois sempre nos ensinaram nas Escolas que os nossos antepassados. Descobriram Cabo Verde, Guiné, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Timor, Macau e Goa, Damão e Diu. Onde ainda se fala a Língua Portuguesa.
Jovens! A Liberdade é tão bela como uma Rosa, mas temos que ter muito cuidado e respeito por ela, pois tem também muitos espinhos
Camaradas Combatentes: Vivemos uma Juventude sofrida. Todos na Flor da Sua Vida.
É que foram, Dois Natais, Duas Páscoas, Dois Aniversários Natalícios, em Territórios
Inóspitos, mas Belos…Lindos e Tristes, a Milhares de Quilómetros da Mãe Pátria….
Não podemos também esquecer os nossos Pais, Mães, Irmãos, Esposas, Filhos,
Familiares e Amigos que sofreram tanto ou mais que Nós .
Portugueses, só são possível estimular os Jovens a servir Portugal, se todos, sem Demagogia e partidarismo soubermos Homenagear aqueles que serviram a Pátria e por Ela deram a Vida.
Viva os Combatentes.
Viva Portugal.
José Adelino Ferreira Nunes







quinta-feira, 29 de maio de 2014

AMIZADES

Resolvi escrever algo sobre a amizade e empatia na guerra. Todos nós tínhamos camaradas que nos diziam algo mais, foi o caso do Ilídio Figueira...um dos cozinheiros da Companhia, e como tal ajudava-nos a retemperar as forças em momentos muito especiais. Bastava fazer-mos uma caçada furtiva e entregar-lhe em mão um cabrito, ou um galináceo que se tinham "escapado" da sanzala mais próxima, e o banquete surgia.
Quis a vida que parti-se cedo demais, no entanto fica na memória o excelente homem que foi, tanto na guerra como posteriormente na sua vida civil.Um adeus... camarada, até um dia.



sexta-feira, 7 de março de 2014

METADES.....


"Tenho duas metades, uma é feita de sonhos e a outra de coragem. E as duas nunca se encontram."

Um corpo jaz na terra quente,alagado pelo sangue derramado de feridas que já não se fecham. O dia já não lhe sorri, de repente se fez noite cerrada.
Números e letras numa salganhada imperceptível...terra e sangue (mecanográfico) e ali ficaram como despojos duas metades de números desencontrados...pedaços de uma vida!












  

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

O TEMPO

01 de Março de 2008

A construção do blogue da Onzima, teve como intenção dar a conhecer a nossa vivência por terras de Angola.
Dei a conhecer muitas das nossas aventuras pelas terras quentes e vermelhas, procurando reviver emoções e transmiti-las por palavras.
Este meu "caderno" ficará para memória futura.....
Um abraço de camaradagem a todos aqueles que como eu entrelaçaram a sua vida numa guerra, que sacrificou toda uma geração!