quarta-feira, 28 de abril de 2010

CONTRASTES



Era para não divulgar o comentário, enviado anonimamente para o blogue, por um pseudo moralista de baixo nível, mas devo dá-lo a conhecer, a todos aqueles, que como eu, não se acobardaram e partiram ao encontro do incerto.
Dos cobardes não reza a história e ela constrói-se com o sacrifício e entrega por causas ou deveres. Aqueles que para encobrir a cobardia, se refugiam em meras palavras de escárnio e maldizer, são uns nado-mortos....

Anónimo deixou um novo comentário na sua mensagem ""MAÇARICO"":

Tinham bom remédio: Faziam o que muitos fizeram... Desertavam. Mas para isso era preciso ter "tomates"... Estes sites e blogues saudosistas de uma guerra estúpida metem-me nojo. Por muito de "esquerda" se queiram agora disfarçar...




Publicada por Anónimo em ONZIMA-COMP.CAÇADORES 3411 a 28 de Abril de 2010 17:56


domingo, 25 de abril de 2010

25 Abril de 2010


Eu vi Abril por fora e Abril por dentro
vi o Abril que foi e Abril de agora
eu vi Abril em festa e Abril lamento
Abril como quem ri como quem chora.
Eu vi chorar Abril e Abril partir
vi o Abril de sim e Abril de não
Abril que já não é Abril por vir
e como tudo o mais contradição.
Vi o Abril que ganha e Abril que perde
Abril que foi Abril e o que não foi
eu vi Abril de ser e de não ser.
Abril de Abril vestido (Abril tão verde)
Abril de Abril despido (Abril que dói)
Abril já feito. E ainda por fazer.

Poema de Manuel Alegre

sexta-feira, 9 de abril de 2010

"MAÇARICO"



                   Ó maçarico,
                        Tua alma chora
                        Olha a velhice
                                 Que se vai embora!


Fui "maçarico" e a minha alma chorou.....
O contraste entre os "maçaricos" e os "velhinhos", foi de todo evidente, aquando da nossa "entrada" na vila do Songo. Ainda imberbes e já lançados para a "fogueira", agarrávamos a G3, com as mãos trémulas e com o medo reflectido nos nossos olhos.
A visão fantasmagórica de "almas do outro mundo", com os camuflados rasgados em vários sentidos,contrastando com as fartas cabeleiras e as rajadas de metralhadoras disparando em direcção ao céu,massacrou-nos interiomente.
Hoje, passados alguns anos, revejo essas imagens com alguma saudade.... era um jovem aventureiro em terras de África!