terça-feira, 29 de dezembro de 2009

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Quivuenga "City"


Local situado no sopé da Serra da Mucaba, estava a uma distância do Songo de +/- 45 kms,distância essa que era percorrida através de uma picada.
Era considerado um local para "armazenar" ,durante algum tempo, um destacamento da companhia, que era revezado na rendição do pessoal, conforme a "vontade" do nosso Capitão, o já falecido Pinto Morais. Pelas suas parcas condições de habitalidade,
quando éramos obrigados a render os camaradas que lá se encontravam,sabíamos que íamos sofrer as "passas do Algarve". No entanto a missão esperava por nós, e como tal, avançávamos "sem medos".
...Também por lá passei algum do meu tempo de guerra.

sábado, 28 de novembro de 2009

CACIMBO/CACIMBADOS



Cacimbo é o nome dado em Angola à estação "seca" (sem chuvas) que decorre de Maio a Agosto. É chamada de estação seca por oposição à estação das chuvas, de Setembro a Abril, mas de facto é bastante húmida. Nesse período ocorre com frequência uma névoa intensa, que dá o nome à estação.
O termo 'cacimbado' era, para os militares, a forma simpática de dizer que o indivíduo estava mesmo 'marado da tola' ou de forma mais clara e entendível, que estava a ficar doido pela pressão do dia a dia, alguns desses camaradas, estiveram integrados na Onzima.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

A "amiga" G3





Companheira fiel dos bons e dos maus momentos, acompanhou-nos a par e passo nas agruras dos tempos de guerra.
A configuração da mesma, assemelhava-se, imaginariamente ao corpo de uma mulher. Por vezes, acariciávamos-a com laivos de ternura, outras sentiamos a sua robustez, onde saciávamos a nossa energia, no agarrar enérgico da mesma, procurando que ela não escapasse das nossas mãos.
A todos aqueles que a queiram recordar, aqui fica um link interessante a visitar.


sábado, 7 de novembro de 2009

Meninos de Huambo




Canção intrepretada por Ruy Mingas que perdurará no tempo, lembrando a
guerra que durante anos derramou o sangue de muitos inocentes, entre eles o de milhares de crianças.
Gerados na guerra, ao nascerem procuraram a liberdade e o sonho de um país livre.
O sonho tornou-se um pesadelo, no entanto, em alguns momentos, entreabriram os
olhos procurando no céu "estrelas de magia", para saberem "como se ganha uma bandeira".

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Preciosidade



Ao navegar pela net, descobri esta pequena preciosidade, uma filmagem efectuada por alguém, que teve a primazia de nos trazer imagens de uma praça(feira), realizada algures no Songo.
Quero realçar o policromático existente, e as nuances que se podem extrair, da variedade de produtos expostos sob o vermelho intenso da terra, tendo como contraste o verde da vegetação.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

O Fado da Trincheira


"Rastejamos como sapos, com a farda em farrapos, pela terra de ninguém", frase emblemática do fado de Fernando Farinha, mais conhecido pelo "Míudo da Bica", e que faleceu, no já distante ano de 1988.



Também ele retratou cenários e fragmentos de uma guerra vivida e sofrida, por milhares de combatentes.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

"A Costa dos Murmúrios"




Ao lembrar-me desta frase, que serviu de título a um livro de Lídia Jorje, tenho como finalidade, retratar os lamentos de milhares de camaradas que passaram indelével pelo teatro da guerra.
Ao navegarmos na internet, o manancial de leitura sobre o tema é inesgotável, e ficam-me latentes alguns desabafos, que quero aqui deixar como murmúrios que se perpetuaram no tempo:

"É triste e lamentável saber que todo o sacrifício, empenho, heroicidade, dos bravos soldados portugueses foi em vão"(Rui Francisco-11/05/09).

"Para quê tanto sacrifício? Para ninguém olhar e dar apoio aos combatentes que hoje sofrem os traumas da guerra"(José Alves-03/04/09).

"Após o 25 de Abril de 74, os bravos militares do ultramar, mortos e vivos foram dados ao desprezo e ao abandono, pelos vários Governos deste País"(Joaquim Dias.05/06/09).



terça-feira, 22 de setembro de 2009

A Blogosfera na Guerra




Os blogs são "veículos" que transportam ideias e pensamentos dos seus autores. Neles se revê e reflecte um estado de alma, aliado ao binómio saudade/recordar.
O cunho do termo blogosfera, foi criado em 10 de Setembro de 1999, por Brad L.Graham, e desde esse momento e até aos dias de hoje abriram-se novas janelas para o mundo.
O termo em si, tem similaridade com a palavra"logosfera"," logo" significa muitas coisas, principalmente"palavra" e "esfera" é interpretado como "mundo", resultando no seu conjunto"o mundo das palavras", ou o universo do discurso.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

A Poesia na Guerra




Os poemas que dissertam sobre a guerra, integram uma parte daqueles que transformaram os gritos de revolta, as lágrimas não contidas, o desespero de não alcançar o zénite, em suma o lamento de muitas vidas transformadas em palavras sentidas. Alguns porque conviveram com ela e outros porque "beberam" de todo um manancial existente.
Desses quero destacar Jorge de Sena e Sophia de Mello Breyner.Dos que estiveram lá e que servem de paradigma, aqui deixo um pequeno fragmento poético extraído do livro "Memórias de um Combatente" da autoria de Joaquim da Silva Sousa.

Que sofrimento meu Deus ser pai de dois rebentos
Que eu amo tanto e vou ter que deixar,
Ao mando de um governo que me vai fazer lutar,
Cegos pelo poder, e de conservadores sedentos,
De um Portugal que está para além do mar.

Mas que mal eu fiz? Quem me fez mal?
E contra quem eu vou lutar?
Mas quem é que me fez mal para eu ter de matar?
Que me estás tu a fazer oh meu Portugal,
Que me ordena a morte em vez de amar.

Revisitar os espaços da guerra é uma forma de drenagem de um drama interior, e como tal tem toda uma dimensão terapêutica(Margarida Calafate)...

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Aniversário do Morgado




A amizade ultrapassa os obstáculos que por vezes nos parecem intrasponiveis, e leva-nos ao encontro de momentos inolvidáveis.
Aconteceu no aniversário do Morgado, apesar de compromissos inadiáveis, tive que coordenar os mesmos, de maneira a poder estar presente na celebração dos seus sessenta anos!!!
Era inevitável a presença de alguns "Onzimistas", e assim estiveram ao nosso lado o Romão,o Oliveira e o José Rodrigues "Madeirense".Um dia espectacular com muito sol, apanágio do mês de Agosto,e um convivío agradável com os familiares do aniversariante.





terça-feira, 18 de agosto de 2009

Aniversário do Romão



Como prova da amizade que une os "onzimistas", surgiu mais um convite para um aniversário, desta vez o do Romão.Claro que convidou mais alguns antigos camaradas, caso do Morgado, Oliveira,Marquês,e Inácio Gonçalves,tendo-se juntado a este grupo de guerrilheiros, os familiares do aniversariante.Ficou vincado pela excelência, o almoço que se realizou nos arredores de Peniche. A confraternização prolongou-se pela tarde fora, sendo a animação uma constante.














domingo, 9 de agosto de 2009

A Guerra/Homenagem

                          



A guerra teve um lado cómico pela voz do grande actor  Raúl Solnado, que nos deixou ontem dia 08/08/09.
Actor que contribuiu para amenizar o cinzentismo que se viveu durante algumas décadas da nossa história, particularmente no período da guerra colonial,onde muitos de nós ouvia-mos as suas rábulas, que serviram para sarar as "feridas" de outras guerras.
Uma das suas frases carismáticas, aqui fica retratada em homenagem aos seus ideais "Façam o favor de ser felizes".

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

86$00



Foi o preço que tive que pagar, pelo motivo descrito na ordem de serviço do DGMG(Depósito Geral de Material de Guerra) em Beirolas. Na altura, sendo um "maçarico", fazia de tudo, sempre em busca da aventura.
Numa noite invernosa, em que a chuva caía a "potes", estava como Sargento de Dia e obrigatoriamente tinha que efectuar a ronda aos vários postos de vigia, acompanhado do respectivo condutor do dia.
Acontece, que na hora definida para efectuar a ronda, o condutor do dia tinha-se "desenfiado", e perante tal facto tomei a iniciativa de efectuar a "viagem" sozinho no velho jeep Willys. Apesar da visibilidade ser pouca devido ao intenso dilúvio que caía naquele momento, "arranquei" com energia e com a finalidade de cumprir a missão que me estava destinada. A meio do percurso e na escuridão, não vi um varão de ferro que estava "estacionado" na frente do jeep, e "crash"... um farolim partido!!
No outro dia, na formatura da manhã, o oficial do dia(Tenente Lobo...com visão de Lince), veio perguntar-me o motivo pelo qual o farolim estava partido. Obviamente que expliquei o sucedido e assumi a responsabilidade, prontificando-me a pagar o valor do mesmo.
Pensei que a questão tinha ficado sanada, mas enganei-me pois a mentalidade dos Oficiais do Quadro(chicos) era inflexível e como tal foi-me levantado um auto, segundo as normas do RDM(Regulamento de Disciplina Militar).
Alguns dias depois, lá saíu o resultado da infracção na ordem de serviço, que aqui exponho, para recordar tal situação.

domingo, 2 de agosto de 2009

Feedback


Um dos objectivos que me levou a "erigir" este blog, foi o de dar a conhecer algumas das realidades que passei com os meus camaradas em terras de Angola. O outro foi uma constante pesquisa de "feridas" que ainda não cicatrizaram em muitos deles.
Tenho um lamento a transportar para o blog, que se resume à falta de colaboração de todos aqueles que o visitam, colaborem deixando ideias, opiniões, críticas... só assim não deixaremos cair no esquecimento, uma das etapas mais marcantes da nossa história.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

FÉRIAS



Como um qualquer viajante, estarei por aí,algures na "imensidão" deste nosso país, à beira- mar plantado.
Prevejo um "salto" até ao norte e depois de oxigenar os pulmões, com ar puro, irei mergulhar nas águas "calientes" do Algarve. A todos aqueles que me "seguem" (no blog), os desejos de umas retemperadoras férias, e poucos euros a saír da carteira, pois a crise existe, assim como a H1N1, cuidem-se!!!

sábado, 4 de julho de 2009

Monumentos



São símbolos de todo um esforço e dedicação, os monumentos que foram erigidos em memória de todos aqueles que calcorrearam as três frentes da guerra colonial.
Deixo aqui a minha sincera homenagem a todos os que empreenderam a tarefa de deixarem em vários pontos de Portugal e do Mundo, os muitos monumentos que simbolizam a luta de uma juventude, em prol da sua Pátria.
O manancial de monumentos é imenso e corresponde á vontade de todos aqueles que não querem "deixar" cair no esquecimento, o esforço e dedicação dos milhares de combatentes que estiveram no teatro de guerra.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Totobola




Antes de partir para Angola preenchi um último Totobola, na esperança de vir a ser milionário. Estava possivelmente à procura duma maneira de contornar o problema da vida militar, e poder "escapar" aos grilhões da guerra.
O boletim do Totobola inseria os factores da vitória e da derrota...a sorte na sua verdadeira essência, mas o sentido da nossa decisão estava na nossa mão ao inserirmos as respectivas cruzes.
A frase " A nossa vida é um jogo" tem aqui plena aplicação, e para todos aqueles que estiveram nas três frentes da guerra, a vida foi um autêntico Totobola.

domingo, 14 de junho de 2009

A Guerra Colonial



Ciclos de conferências, debates,colóquios,encontros...o manancial é inesgotável, e atravessa transversalmente toda a sociedade portuguesa. Romancistas,cronistas, poetas e narradores, debitaram frases definindo os parâmetros da guerra, as suas ideias ou histórias, fomentam diálogo e discussão, mantendo em aberto várias teses sobre o tema. Pelos tempos vindouros, o filão não vai acabar e haverá sempre garimpeiros procurando novos filões.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

DIA de PORTUGAL





A 10 de Junho, celebra-se o dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. A dignidade , o valor e o altruísmo são um conjunto de factores que revelam o ideal dos portugueses, que nesta data são agraciados com títulos ou medalhas, alguns a título póstumo. Dia para homenagear, recordar e não deixar esquecer, aqueles que um dia, ao longo da História Lusa, tombaram e derramaram o seu sangue em defesa da Nação.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

TOQUES MILITARES



São frases que todos nós conhecemos, a "toque de caixa" e "toque de clarim".
A toque de caixa utilizava-se quando queria-mos que alguém "desaparece-se" rapidamente do local onde se encontrava, por estar a mais. O toque de clarim servia para dar indicações sonoras, normalmente nas formaturas. No serviço militar obedecia-mos aos dois toques, no entanto quero aqui deixar o som dos toques de clarim com a finalidade de recordarem os velhos tempos de formatura na parada.



quinta-feira, 21 de maio de 2009

A Guerra no Cinema




A Guerra Colonial é um tema inesgotável nas suas mais variadas vertentes. Dela se extraem elementos que fornecem toda uma panóplia de factos, os quais geram histórias, que são posteriormente retratadas na literatura, no teatro e no cinema.
É evidente que todo este manancial é importante para dar a conhecer à nossa sociedade, as vertentes da guerra nos seus mais variados aspectos.
Aqui vou enunciar em termos de cinema, os nomes de filmes já realizados sobre a temática da Guerra Colonial.

"Adeus até ao meu Regresso"-António P.Vasconcelos-1974
"Actos dos Feitos da Guiné"-Fernando M. Silva-1980
"Um Adeus Português"-João Botelho-1985
"Non ou a Vã Glória de Mandar"-Manoel Oliveira-1990
"Inferno"-Joaquim Leitão-1999
"Preto e Branco"-José Carlos Oliveira-2003
"Os Imortais"-António P. Vasconcelos-2003
"A Costa dos Murmúrios"-Margarida Cardoso-2004
"20,13' "-Joaquim Leitão-2006
"Deus Não Quis"-António Ferreira"-2007
"Apoteose"-António Borjes Correia-2009

segunda-feira, 18 de maio de 2009

"Bicha de Pirilau"



A coluna um a um, em fila indiana, ou bicha de pirilau, são termos usados para definir formações de combate, utilizadas pelos militares portugueses nas deslocações apeadas, nas três frentes de combate. Serpenteando entre picadas ou embrenhados no capim, que por vezes superava a n/altura. Ao percorrerem os trilhos já demarcados, o perigo espreitava, e o risco potencial de existirem minas ou de uma emboscada, tinha que ser ultrapassado pelo espírito de abnegação dos n/militares. A formação no sentido longitudinal, e o afastamento entre cada militar de um a dois metros,tornava-os num alvo mais dificil de atingir.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

"Rápidamente e em força p/Angola"



Quando Salazar, depois de dominar a tentativa de golpe de estado do general Botelho Moniz, pronunciou as palavras “Rápidamente e em força para Angola”, estava, mais uma vez, a traçar o destino de Portugal e das suas colónias. 
Com estas palavras e as acções que se lhes seguiram, Salazar fechava as portas, desde o início, a qualquer solução negociada para a questão colonial. Impressionados pela exibição das fotografias dos terríveis massacres no norte de Angola, verdadeiras mas de uma só face, os Portugueses responderam, de forma geral, com generosidade ao apelo do ditador, sem poderem formular livre juízo de valor, sobre o seu empenhamento. 
A guerra acabou, aliás, por conduzir a maior dureza dos sistemas repressivos do regime, impedindo qualquer discussão ou abordagem do problema que se tornou o nó górdio da própria ditadura. Quando Salazar saiu da cena política, em 1968, deixou ao seu sucessor um regime desacreditado, com mais de 100 000 homens em três frentes de combates e mais de um terço dos gastos do Estado, afectos às despesas militares. 

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Movimento Nacional Feminino



O M.N.F. foi uma organização criada por iniciativa do Estado Novo, tendo como fundadora Cecília Supico Pinto, e como suporte António de Oliveira Salazar. Os estatutos foram aprovados ministerialmente em 10 de Agosto de 1961.
 Ficou célebre pela instituição do modelo das madrinhas de guerra e dos aerogramas, alcunhados de "bate-estradas", assim como todo um manancial de acções, que incidiam no apoio aos militares que combatiam nas três frentes, casos de visitas de artistas aos teatros de operações, ofertas de natal(bolas,isqueiros,tabaco e discos),etc.
Como exemplo extraordinário de coragem, e de dar sem receber, tivemos um documento histórico de uma senhora do MNF, que se chamava Maria Estefânia Anacoreta, que deixou marcado no tempo, o exemplo de abnegação e estoicismo, na reportagem " A Voz da Saudade", uma viagem épica que durou seis meses, por avionete e pelas estradas e picadas do interior de Angola.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Aniversário do Oliveira




Tive a grata surpresa de ser convidado pelo Oliveira, entre nós onzimistas ,conhecido pelo "cacimbado", para estar presente na celebração dos seus sessenta anos!
Estiveram presentes ainda alguns camaradas da Onzima, casos do Morgado e do Romão, e como seria evidente, vieram a "lume" as nossas histórias da guerra. Em homenagem á n/companhia, o Oliveira fez gosto em colocar no bolo de aniversário, o emblema da Onzima.
Como normal, que é nestas situações,houve muita alegria e boa disposição, acompanhada de um belo porco assado no espeto, e do indespensável tinto da safra do aniversariante.