sábado, 28 de junho de 2008

10º Almoço convívio-Cercosa-Oliveira de Frades-14/06/08

Este ano rumámos á região de Lafões, afamada pela sua gastronomia, destacando-se a célebre vitela á Lafões. A crise objectivamente desmobilizou alguns dos nossos camaradas, tendo por isso comparecido um número abaixo das nossas expectativas, no entanto os que estiveram presentes fizeram jus á boa disposição e ao companheirismo.
Este almoço realizou-se no restaurante a Tarântula, e estiveram presentes 46 pessoas.
 
                           

quinta-feira, 26 de junho de 2008

"Aquelas Máquinas"



































"Máquinas" era na verdadeira acepção da palavra o conjunto de condutores auto e mecânicos que tive o privilégio de "conduzir" ,e as outras(Unimogs 411/404, Berliet,Willys), que eram manejadas com perícia por homens que "faziam das tripas coração", para levar a "bom porto" todos os que nelas eram transportados. Por vezes os milagres aconteciam mas nem sempre a sorte protegeu os audazes.

Gráfico

Tem este gráfico a finalidade de dar a possibilidade de visualizar-mos as oscilações existentes nos vários encontros já realizados. Como se pode verificar não tem existido uniformidade no numero de companheiros presentes.

terça-feira, 17 de junho de 2008

"COMPANHEIRAS"




Estiveram connosco nos bons e nos maus momentos, tendo sido confrontadas por vezes com situações difíceis de ultrapassar.
Nos almoços convívios sempre tiveram que "levar" com as nossas histórias, no entanto nunca esmoreceram e disseram sempre "presente".
Como forma de homenagem, aqui ficam as fotos das que quiseram estar a acompanhar-nos no almoço em Cercosa, um bem haja para todas elas.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Golpe de Mão em Cercosa























O ataque registou-se pelas 12H e 30M do dia 14/06/08, na povoação de Cercosa, tendo o grupo sido constituído pelos seguintes combatentes: Castelo,Leitão,Laranjeira,Leite,Mesquita,Aurélio,Camilo,Celino,Lamarão,Coelho,Rodrigues,J.Coelho,Inácio,Faria Alves,Beja,Subtil,Calisto,V.Gonçalves,J.S.Castro,J.Pereira,Anselmo,Oliveira,Amaral,Morgado,O.Castro e o Oscar. Desta refrega todos sairam ilesos, tendo gradualmente ocupado as suas posições de partida para rumarem em várias direcções, procurando cada um o regresso á "base", esperando por nova "intervenção".

terça-feira, 10 de junho de 2008

Suites







Durante a nossa permânençia(inicial) no Songo, estivemos alojados em instalações cedidas por civis.As condições que nos eram oferecidas nos quartos, resumiam-se a uma cama estilo rococó feita em ferro forjado e toda ela trabalhada á mão, as mesas de cabeceira foram construidas com madeira extraída das caixas de cerveja da Cuca/Nocal,e no meu caso pessoal tinha ainda um belissimo armário estilo Luis xv, construido á base de madeiras oriundas de caixas vindas no MVL.No entanto por lá passámos momentos intensos de boa camaradagem, como tal não ficamos com inveja das suites do Burjal al Arab no Dubai.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Interlúdios




No teatro da guerra existiam também intervalos, e como tal tinham que ser aproveitados da melhor maneira.Naquele tempo existia o Clube Desportivo e Recreativo do Songo(CDRS), que além de uma excelente sala de cinema, tinha também um óptimo salão de festas, no qual se efectuavam de quando em vez, festas denominadas temáticas.Nessas ditas cujas, tinhamos que nos aperaltar , e então lá iamos ao nosso guarda-fato procurar a roupa "civil" para podermos apresentarmo-nos condignamente.
Era certo e sabido que redundavam normalmente em excessos imputáveis ao Deus Baco, a origem para estes excessos tinha como objectivo, esquecermo-nos de tudo o que deixáramos á distância de um oceano.


segunda-feira, 2 de junho de 2008

Envolvências




No enquadramento da nossa "guerra", tivemos algumas forças militares e de segurança a "trabalharem" em conjunto com a n/companhia.Uma delas, a Policía Rural, por vezes actuava no teatro das operações tendo como suporte logistico a n/companhia. Lutava com algumas dificuldades em termos de manutenção das suas viaturas, e devido a esse facto, por vezes o Comissário Martins solicitava o meu apoio. A finalidade era puder atestar o depósito de algumas viaturas e por vezes também uma "ajudinha" na componente mecânica.Ficam para a posteridade alguns documentos dessa envolvência.