terça-feira, 27 de maio de 2008

PIDE



Durante as guerras coloniais, a polícia política, até aí virtualmente ausente dos territórios africanos, assumiu nos três teatros de operações a função de serviço de informações e, constituindo, enquadrando e dirigindo milícias próprias, compostas por africanos, por vezes desertores das guerrilhas, colaborou com as forças militares no terreno. Neste âmbito, poderá a sua acção ter também ultrapassado as fronteiras; com efeito, são-lhe atribuídas responsabilidades, quer no atentado que vitimou o dirigente da FRELIMO Eduardo Mondlane, quer na manipulação dos descontentes do PAIGC que, num "golpe de Estado" dentro do partido, assassinaram o dirigente independentista Amílcar Cabral.Tivemos na nossa área de intervenção o acompanhamento de elementos da PIDE,objectivamente cooperavam com o exército fornecendo informações importantes para o bom desempenho das missões que nos estavam atribuídas.Vivi o desmembrar da polícia politica,já em Portugal após o 25 de Abril,participei na "tomada" ao Jornal República, no Bairro Alto, e da qual consegui recolher alguns exemplares para memória futura.

1 comentário:

Anónimo disse...

Um blog necessita de todos para lhe dar uma "cara" para melhor.
Sempre que puder aqui estarei dando os meus "bitaites".
Um abraço.
C.L.